31 de março de 2006

Sei que vou ser coroado rei de mim

Larguei os cálculos estequiométricos pra vir aqui falar de amor. Desde pequenininha (eu adoro essa frase) sempre tive essa “vontade” dentro de mim pulsando forte, é uma “vontade” estranha, é “uma vontade” boa, é uma “vontade” que completa. Vontade de quê? Não sei. Quando vem? Não sei. Pra quê? Nunca se sabe. E como funciona? Muito menos.
Acabei de ver Lisbela e o Prisioneiro (um dos meus filmes preferidos), pela algumacoisaécima vez, sabendo os diálogos e mesmo assim tomando um susto cada cena com música de algoruimvaiacontecer. Estranhei e achei graça do meu sorrisinho de criança quando ganha um brinquedo novo, e da minha alegria ao vê-los juntos no final.
Juntei tudo em um mix de pensamentos mirabolantes, retrocedi anos dessa pequena grande vidinha e pensei em todos os sonhos que tinha e tenho, pensei nessa minha vontade de alguma coisa. Vontade de amor, oras bolas, vontade que não se sacia, vontade que não cura, não passa e não termina.
Queria eu essa vida de filme... Deixo de lado os maquiadores, os grandes cenários e os efeitos especiais, queria mesmo os diálogos, os beijos apaixonados e o clichê de viveram felizes para sempre. Queria eu essa magia e essa fantasia que sempre tentei enxergar na vida real, queria eu essa vontade “de” que os apaixonados de filme têm, esse fôlego, como eu queria. Esqueço os cortes e edições, queria viver vinte e quatro horas por dia essa emoção, essa loucura, e essa gana de ser feliz.
Fico aqui com minha vontade fazendo companhia, daqui a pouco tenho que voltar ao lustre e aos cálculos não é mesmo?

Tenho raiva desse meu silêncio, dessa mente com pensamentos rápidos e conturbados, tenho raiva, pois, parece que quanto mais escreve pra me expressar... mais faltam 1000 palavras entre cada espaço.

4 comentários:

LUR* disse...

que pena, eu vivo :))))))))))) hahaha
fé no amor menina....
bjobjobjobjobjo

LiseAlves disse...

Lanna eu amei o texto que tu colocou no teu album do Machado de Assis. Adorei também teus textos e o blog (:

Beijasso Gatonaaa do mq !

lub disse...

oras, por isso que odeio filmes\livros\programas de coisas viajonas, fora do capaz de acontecer..
ver\ler isso tudo só nos faz sentir que não estamos aproveitando a vida como poderíamos, quando na verdade estamos aproveitando no mundo real, e não na fantasia.
quem dera nós podermos viver sempre na fantasia, sempre num mundo imaginário em que as pessoas são boas e que no fim tudo da certo.
tudo depende de nós mesmo, essa história de destino, Deus, ações de outras pessoas, etc, são apenas explicações que as pessoas que não tem capacidade de admitir que somos responsáveis por cada ação que fazemos e consequentemente também somos responsáveis pela reação dessa ação.
as respostas pra todas as perguntas que que temos estão dentro de nós mesmos, quanto mais tempo tiveres para parar, pensar, analisar cada situação, cada decisão tomada por tí vais aprender que aí está tua personalidade, tuas bases, teus princípios, teus valores, vais acabar descobrindo a ti mesma, sem capas e proteções que todos nós mantemos para com os outros. Aí está a fórmula da felicidade, achar quem somos para sabermos como melhor poderíamos saír das mais diversas situações de acordo com o que a nossa pessoa nos permite, estaremos dando o nosso máximo e nos sentindo completos.

lub disse...

eu não sei expressar minhas idéias, elas vêm tudo junto e misturadas e só meu cérebro sabe organizá-las dentro dele, quando sai fica tudo misturado e confuso saca? oO