22 de março de 2007

Arrepio

Eu que tantas vezes falei de amor, hoje mudo o repertório.
Por um momento sinto vontade de explicar o inexplicável, como quando sentimos os olhos de alguém aspirando os nossos, como quando a mão torna-se a pluma.
São estes, os pequenos detalhes, que me tornam um tanto quanto observadora.
Há quem repare em coisas banais, há quem importe-se com beijos. Já a mim interessa o jeito de sorrir, o magnetismo que existe entre as pessoas, se ele esta olhando, ou não. E então, o que importa são apenas os arrepios que estão por vir, e são estas pessoas que nos fazem penar, são estas que tiram-nos o chão. Das formas mais simples.
Peço atenção ás ocasiões deixadas para trás, e ao movimentos dos pêlos, todos, agradecendo por existir naquele momento.

No fone, o volume no máximo Coldplay

6 comentários:

Anônimo disse...

e as ocasiões que vem pela frente?
isso tudo da um certo "arrepio". beijos.

Anônimo disse...

a vida é dura só pra quem é mole !

:B disse...

Presto atenção em coisas banais, essenciais; prestando atenção nas mãos, sem jeito. Beijo. O beijo e suas milhões de interpretações, controvérsias e mistérios; Sendo, presto atenção ao universo em conspiração favorável ao amor

das duas uma....ou a antiga autora deste blog vendeu-o para uma outra criatura, ou ela tropeça nas controvércias, esquecendo que blog guarda arquivos...

Winnie disse...

pra começar é controvérsias, e pra terminar o que está escrito em um blog não quer necessariamente dizer o que a pessoa pensa... odeio gente que não conhece literatura, pq até o mais sem graça
dos blogs deve ser considerado literatura.
Gostei do texto lanna.

COLLARES, Lanna disse...

Ao (a) Sr.

É dificil conversar contigo sem que tu tenhas a capacidade de interpretar meus textos - algo tão banal e palavras tão simples. No entanto, não poderia deixar de vir até aqui e explicar-te que o blog não foi vendido.

Os tropeços nas controvérsias de que falas fazem deste um tanto quanto pessoal, e mostra a modalidade de meus sentimentos. Caso estas que reclamas não te façam agrado, pois bem, não te peço para ficar, peço apenas que te retires.

Esta página é de conteúdo poético, não leis de álgebra. Literatura não precisa de fórmulas e caso não sejas bom conhecedor desta, explico-te também que não obtêm lógica, e sim, vontades de momento.

O texto de que tu te referes fala sobre alguém - não existente- e Arrepio sobre os pequenos momentos da vida - inesquecíveis, meus ou não.

Quando voltares - se voltares - aconselho-te a fechar esta janela, e então, procurar um bom livro de física.

(Se já tens formação para isso, e aconselho também a procurar o que fazer, este sedentarismo ciberético tem deixado-te um tanto quanto LOUCO, ou LOUCA, Sr. :B)

:)

COLLARES, Lanna disse...

E obrigada Wi, gosto quando tu elogias meus textos. Um beijão