13 de abril de 2006

Sobre células e filosofia

Por que saber sobre a célula que tem uma partezinha com tal funçãozinha para com a membraninha do diabo a quatro? Mesmo com todo o barulho nada me tira a atenção dessas palavras, comecei a ler Nietzsche, acabei me desprendendo do mundo. Lanna? Lanna? Já vou (droga).
Ele é extremamente arrogante, isso me intrigou e fez com que prestasse atenção em cada detalhe, concordei com quase tudo, com quase toda frase, com quase...
“Quanta é a verdade que um espírito suporta, quanta é a verdade que ele ousa? Essa foi, para mim, e cada vez mais, a tábua para medir valores. Engano não é cegueira, é covardia... Toda a conquista, todo o passo adiante no conhecimento é conseqüência da coragem, da dureza em relação a si mesmo, da decência consigo mesmo... Eu não refuto os ideais, eu apenas visto luvas diante deles. Nós buscamos o proibido, é sob esse signo que minha filosofia sai vitoriosa, pois até agora sempre foi proibida fundamentalmente apenas a verdade”.
Pronto Léo, já fechei o livro, vou prestar atenção na aula... Voltando ao mundo da Biologia.

Um comentário:

LUR disse...

nao entendi nada e tenho raiva de quem vai entender :)
auehauehuehau um beijo !